4 anos

Às vezes olho para ele e lembro-me das bochechas de bebé. De quando o ía embalar à noite e como cabia nos meus braços. De quando o pousaram em cima do meu peito e olhei para ele pela primeira vez.
Isto já foi há 4 anos.
É surpreendente como deixamos de olhar para um bebé e passamos a olhar para uma criança. Que já diz e reproduz tudo. Que faz piadas. Que te ganha no Subway Surf. Que faz birras como se o mundo fosse acabar. Que tem uma conversa com conteúdo, do princípio ao fim.
Que tem pés grandes. A barriga já não é de bebé. É ágil e raramente cai. Argumenta e dá-nos a volta. Entra no carro, põe o cinto e fecha a porta sozinho. Eu fico a olhar atarantada, a chegar à conclusão que já não sou precisa para aquilo.
Digo-lhe, às vezes, que apesar de estar crescido quero que seja sempre o meu bebé. Ele diz que sim, que pode ser.
Teve uma festa só de amigos dele. Eu preferi assim porque estava rodeado de crianças que conhece e os putos entendem-se entre eles. A festa é para eles.
E eu adorei privar com os pequenos seres (só em tamanho) que convivem diariamente com o meu miúdo.
Não é preciso o tempo voltar atrás, que para a frente é que é caminho. Mas podia passar um bocadinho mais devagar. Ou pelo menos ter uma tecla de rewind e pause para apreciar o que nos escapou e não esquecer.
E depois voltar outra vez ao presente.

8 comentários:

  1. é verdade, o tempo passa demasiado depressa quando estamos tão absorvidos em tomar conta deles, criá-los, educá-los. quando damos por ela, puff, já têm quatro anos e já são umas crianças tão completas. dou por mim, muitas vezes a pedir-lhe que cresça mais devagar, ou que não cresça mesmo :D
    muitos parabéns ao pequeno fofo**

    ResponderEliminar
  2. É um problema que vem com as crianças: crescem depressa demais! Parabéns!

    ResponderEliminar
  3. Esta vódrasta partilha desse sentimento. Tem só 3 mas parece mais crescido, principalmente nas conversas. Mas depois quando o abraço e lhe dou beijinhos invade-me aquele cheirinho e vejo-o outra vez no berço, a esboçar os primeiros sorrisos... não há mesmo amor assim :)
    Parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há :)
      É muito bom. Obrigada e parabéns à vodrasta pelos 3!

      Eliminar