2012

2012 foi muito bom para mim. Não perdi ninguém próximo, não querendo parecer fatalista, mas é que é coisa que tem vindo a acontecer em anos anteriores.
Foi um ano em que cresci profissionalmente com a minha cara-metade. Umas vezes às turras, outras vezes a comemorar conquistas. O facto é que não nos podemos queixar. Tudo nos tem corrido bem.
A nossa cria esteve sempre bem. Cresceu e começou a falar muito este ano. Mesmo muito. E eu comecei a apreciar cada vez mais a sua companhia, não apenas como filho fôfo, mas como pessoa.
Com alguns contratempos e passos atrás numa Primavera chata, voltámos ao início e avançámos com receios e dúvidas, mas sempre a piscar o olho à sorte. Que é coisa que nos acompanha sempre, de há 10 anos para cá.
Andei sempre bem de saúdinha, portei-me bem melhor no início do ano com idas regulares ao ginásio e a ser uma pessoa certinha, sendo que depois foi tudo para o galheto quando ali em meados de Junho nunca mais dei uso ao saco do ginásio, que ficou a apodrecer na mala do carro. Ah, pois, peguei nele uma vez, mas depois veio a varicela e, e, e... mais coisas... e... desculpas para não ir.
Foi um ano em que me virei mais para mim, depois de me pôr na prateleira enquanto mulher.
A maternidade é uma coisa bonita, mas é tão bom não nos esquecermos de quem somos.
E agora o que peço para 2013? O cliché do costume: saúde, amor, sorte e dinheiro para mim e para os meus. Sendo que em 2013 terei um dos melhores presentes da nossa vida: a minha cria côr-de-rosa.
Um feliz ano a todos!

??

Ontem, batata-frita-pequena a andar de bicicleta.

Eu: Oooh! Deixa-me andar na tua bicicleta!
Batata-frita-pequena: Não. Tens o rabo grande.

...

porquê porquê porquê porquê porquê

Passamos em frente a um stand de carros.

Cria: porque é que aqueles carros estão ali fechados?
Pai: porque são para as pessoas comprarem.
Cria: porquê?
Pai: porque as pessoas precisam de carros para andar na estrada.
Cria: porquê?
Pai: porque quando as pessoas querem ir para um sítio que fica longe, vão de carro.
Cria: porquê?
Pai: porque se forem a pé, demora muito tempo.
Cria: porquê?
Pai: porque a pé anda-se mais devagar.
Cria: mas... porquê?

Eu: porque é que perguntas tantas vezes "porquê"??
Cria: porque não sei!!

kidzânia

Ontem aventurei-me (acreditem, para quem não conhece, é uma aventura) na Kidzânia.
Foi o dia in-tei-ro.
Eu não conhecia, não fazia a mais pequena ideia do que esperar. Estava de pé atrás por a minha cria ainda não ter 3 anos feitos e que provavelmente não ía aproveitar, mas... adorou! Ele e o primo dominaram e amaram tudo. Eu vibrei, achei o máximo, mas cheguei ao fim do dia KO. É como se tivesse levado um porradão. É que ir com uma criança de 3 anos é diferente de ir com crianças já crescidas. Há que acompanhar em tudo, ficar nas filas, ficar a ver de fora, decidir o que fazer a seguir, carregar ao colo. Uma estafa. Mas adorei, confesso. Adorei vê-lo tão solto, tão seguro de si, tão divertido.
Agora, é basicamente um espaço anti-grávidas. Ninguém tem misericórdia. Ninguém nos poupa a 20 minutos em filas, ou oferece um lugar sentado. E é que esta minha pança já pesa. Não que esteja enorme, mas ao fim de alguns minutos em pé, já sinto necessidade de sentar. E noto que me canso mais facilmente. Apesar de ainda só ir em 21 semanas.
Um conselho muito útil: ir, se possível, de manhã e durante a semana (sem ser em época de férias).

porquê?

A minha cria anda na idade dos porquês. É uma coisa por demais que muitas vezes me leva à loucura.
Tuuuuudo é motivo para perguntar "porquê?".

Porque é que aquela senhora está a falar assim? Porque é que eu vou calçar estes sapatos? Porque é que o pai ainda não chegou? Porque é que estão aqui estas prendas? Porque é que eu vou para a escola? Porque é que eu tenho de beber água? Porque é que falas assim para mim, mãe?

E eu respondo, gente! A sério que respondo! Só que a criatura não se contenta com a primeira explicação (nem com a segunda nem terceira) e esmifra-me até eu não saber mais o que dizer.
É do caneco, é o que vos digo.

pára tudo!!

Acabo de perceber que, dos 25 Fizzs Limão que comprei no Verão, só restam 8.
Alguém me diga o que é que eu vou fazer à minha vida daqui a 8 Fizzs.

e agora, um momento super gaja

Hoje experimentei verniz de gel. Não é gelinho. Não são unhas de gel.
É tudo feito como se fosse gelinho, mas de um modo mais artesanal.
Ficou tudo perfeitinho e pintadinho e lindinho. Agora é suposto durar 2 semanas.
Eu torci o nariz, que duvido que verniz algum me dure tanto tempo, mas enfim, há que manter a luz da esperança.
Também parecia uma totó a pegar em tudo com cuidado, depois de feito, apesar da minha esteticista me dizer que podia desatar à pancada a tudo, que ficava intacto.
A ver!

hoje

Eu queria ter tirado o dia de hoje para ser só eu e a minha criança fôfa, mas tudo me trocou as voltas.
O caos instalou-se na bela empresa e esta aqui andou o dia inteiro entre cá e lá, sempre com batata-frita-pequena atrelado e a pedir atenção.
Depois, uma ideia luminosa tomou conta de mim: ir ao Corte Ingles devolver uma coisa e ajustar o relógio lindo que o meu homem me ofereceu. Eu NUNCA JAMÉ vou a um shopping no dia 26 de Dezembro porque este dia é rico em romarias para trocas de presentes e ataques a promoções que acontecem cada vez mais cedo. Mas enfim, a parvoíce apoderou-se de mim e levou-me até lá. 300 horas para entrar no estacionamento. E depois mais 600 horas para conseguir fazer as duas coisas que tinha para fazer. A minha cria até se portou bem. Pelo meio fomos comprar castanhas e ficámos os dois sentados num degrau a comer as ditas.
Mas era muito povo junto.
E as dores de barriga? Agora, de cada vez que ando em stress ou em super movimento fico com dores de barriga, um mimo.
Amanhã é dia de escola, mas sexta-feira contra-ataco com um dia em família! Ah!

incoerência infantil

Se antes a minha cria me dizia que eu cantava mal, agora obriga-me SEMPRE a cantar no carro.
"Mãeeee!! Sabes esta música? Ensina-me lá!"

Esta gente pequena não se resolve.

( . )

Temo pela minha súbita vontade de comer.
Já não enjôo (aleluia aleluia), logo, como. Mas comi MESMO neste Natal.
Varri tudo: tarte de amêndoa, sonhos, pudim, rabanadas, polvo, bacalhau.
Temo e tremo pela subida à balança. E pelos próximos 4 meses.
Pelo sim pelo não, na próxima semana vou investir nas sopas e saladas.

Feliz Natal!

Então é assim minha boa gente: tenham um Natal muito feliz, com as pessoas de quem gostam.
Não se afoguem em rabanadas, que depois tirá-las das ancas é o cabo dos trabalhos.
Aproveitem o mood natalício. Sejam bonzinhos, reúnam-se à mesa, partilhem o amor e apreciem as luzinhas da árvore de Natal.
É Natal!

é só mel

Há muito tempo que queria um fim-de-semana nas calmas, em que pudesse beijocar e fazer programas com a minha cria à vontade. Nunca mais consegui ir buscá-lo à escola e passado um tempo, isto começa a consumir-me. Gosto de o fazer, mas praticamente nunca dá. Quando olho para o relógio, já passou a hora.
Maneiras que a partir de hoje e até quarta-feira ninguém mo tira. Ok, só hoje que vai dormir a casa das primas porque temos um jantar até tarde. Mas depois disto, a cria é só minha!

Batatas com Maionese no FB

Ainda sem saber para que servirá - provavelmente para dizer mais disparates - a partir de agora, o Batatas com Maionese está no amigo Facebook! Vinde a mim, gente!

que é como quem diz, já fazias dieta

Hoje, os três ao pequeno-almoço, comemos queijo fresco e doce de abóbora (um viva à moda de oferecer compotas no Natal, by the way). A nossa cria quis repetir.

Eu: Vais ficar com uma barriga como a do Pai Natal.
Ele: Não! Vou ficar com uma barriga grande como a do pai.

( . )

A mim a gravidez não dá vontade de devorar este mundo e o outro.
Primeiro, porque enjôo quase metade dos 9 meses e, segundo, porque quando tenho realmente vontade de comer, só me apetece coisas saudáveis. Tabletes de chocolate nem vê-las. Não consigo.
Anda uma pessoa (eu) a fazer dietas mês sim mês não e vai-se a ver, basta estar grávida para comer decentemente.
É verdadeiramente enternecedor à noite só ter vontade de comer maçãs ou tangerinas, em vez de chocolates. Ou depois de almoço, apetecer uma gelatina ou um kiwi. Ou ainda nunca repetir o prato com medo que caia mal.
Muito de vez em quando é a loucura, como hoje, em que lanchei um croissant com chocolate e soube mesmo bem!
Por isso rio-me quando o médico ecógrafo me dá o discurso nem-penses-em-transformar-te-numa-lontra-neste-Natal. Rio-me e também fico com vontade de lhe dar um calduço ao pensar nas longas horas em que já me abracei à sanita nesta gravidez.
Dieta? É ficar grávida!
Assim de repente até parece uma boa ideia, mas não. Parece-me antes um conceito de dieta um bocadinho perigoso.

papéis invertidos

Batata-frita-pequena de saída para uma noite em casa da avó.
Olha para mim e diz "Porta-te bem marota!".

Grávidas de Portugal e arredores!

Eu disse que ía investigar e consegui desencantar boas alternativas de roupa interior para grávida!
A Triumph tem soutiens muito jeitosos. São de amamentação, mas não parece. Não são muito baratos, mas valem o investimento. Muito firmes, confortáveis e de bom material. Para além da qualidade, tem soutiens verdadeiramente giros e mega sexys.
A Hope tem soutiens também com muito bom suporte e em algodão. Mas não tão giros, infelizmente.

Não querendo desatar a pôr aqui imagens de mulherada boazona pançuda e mamocas à mostra, favor pesquisar no google images "triumph mamabel".
Maravilhem-se pançudas!

já não vou ser cantora

No carro, de manhã. Eu e a minha cria.
Eu a cantar efusivamente.

Ele: Pára! Pára! PÁRA!!!
Eu: Porquê?!
Ele: Cantas mal!!


operação relâmpago

Tenho fobia a lugares cheios de gente, a filas intermináveis, enfim, a multidões em geral.
Começo a ficar com afrontamentos, a panicar e a querer pirar-me o mais rápido possível.
Isto não é muito coerente com deixar as compras de Natal para a última, pois. É coisa que nunca faço. Mas este ano deixei arrastar a coisa para meados de Dezembro. Isto para mim é fazer compras à última da hora, é impraticável :D
Dramatismos aparte, cheguei à conclusão que isto não é tão grave assim se se optar e puder fazer esta mega operação da seguinte forma: comprar os presentes da criançada todos num só lugar, tipo, o Continente e fazê-lo logo que abra (num dia de semana). Ah, também é boa ideia levar a lista dos nomes já feita.
Foi uma operação relâmpago, em menos de 1 hora tratei de tudo.
Pelo sim pelo não, para o ano ninguém me apanha às compras em cima do acontecimento.
Espero.


alguém me dê um valente calduço

... da próxima vez que deixar as compras de Natal para a última e me meter num shopping à hora de almoço.
E ainda faltam os presentes das crianças. Oh God.

Andava eu histérica, que ainda não tinha sentido a minha mais nova, que a mulher não se mexia dentro de mim e eis que ontem senti uma borboleta a bater asas dentro da minha barriga.
Foi um misto de emoção com alívio.
Hoje está um regabofe pegado, a criança não pára.
Eu e tu, tu e eu.

hopeless

Uma pessoa (eu) já teve contracções lixadas, pariu um filho (foi com epidural, mas até levá-la bem penei), teve um pós parto tramadinho, mas mesmo assim tem cagufa de ir ao dentista.
É uma cagufa estúpida por duas razões. Primeiro, porque sempre que lá vou não tenho nada de especial, só uma ou duas cáries pequenitas. Segundo, porque mesmo que tivesse alguma coisa, a minha dentista é rápida, simpática, querida e muito práctica.
Não há cá fazer só uma limpeza na 1ª consulta e depois marcar outra e outra. Não. Ali é tudo de rajada. Trata-se tudo de uma vez, se eu quiser. Foi o caso de hoje: uma mini-cárie sem anestesia e os molares com o esmalte desgastado que levaram massa, por eu ser uma bruta a lavar os dentes.
E foi isto. Simples, rápido e ainda dois dedos de conversa sobre o casalinho piroso maravilha (a minha médica também tem um filho e uma filha).
Mas a cagufa, essa, perdurará para todo o sempre. Hopeless.

12.12.12

Se o mundo acaba hoje ou não, eu não sei.
Mas para mim é certamente o fim do mundo ter consulta de dentista hoje.

o nome

Eu nunca tive um nome escolhido para menina porque, vá-se lá saber porquê, achava que só ía ter rapazes nesta vida.
Mas eis que o destino me dá uma filha. Fiquei tão eufórica, mas esqueci-me de um pequeno pormenor: eu nunca tive um nome para menina. Nunca me maravilharam nomes de mulher. Sou uma seca, eu sei.
Sempre quis ter uma menina, mas nunca soube que nome lhe dar.
De repente, num belo dia fez-se luz. Acordei com um nome na cabeça. E enviei logo 300 sms´s ao meu homem a falar no nome. Mas... ele odeia!!! Odeia com maiúsculas. E eu fiquei KO.
Maneiras que agora ando a apalpar terreno, a ver se a coisa se dá. A ver se o homem deixa de odiar o nome que eu adoro. Mas está difícil, está muitooooo difícil. Tão complicado que não sei se vou conseguir fazer a lavagem cerebral.
Ontem à noite ainda fiz de mulher fofinha a ver se pegava. Perguntei se queria alguma coisa, um cafuné, um beijinho, um chocolate, qualquer coisa. Mas o meu homem não é parvo nenhum e topou-me logo. Bolas pá. Estou destreinada.
Preciso de armas novas.

desafio para os próximos 5 meses

Convencer batata-frita-pai que o nome que eu gosto para a nossa mais nova é espetacular.

pintas report III

Ter varicela é uma grande seca, é o que vos digo. E eu tive uma versão soft.
Comichão comichão comichão. Borbulhas em TODO o lado.
Agora que a cena já acalmou, continuo às pintas, mas em versão final. Sem comichão. Já não me posso queixar. Por fora não foi tão mau assim. Por dentro não sei as implicações. Mas não posso stressar mais com isso.
Hoje já foi dia de trabalho, montes de trabalho que tinha pendurado dos dias em que fiquei prisioneira da varicela. Soube bem regressar.
Mas como não há duas sem três, a nossa cria hoje ficou em casa com febre.
O Inverno é mesmo espetacular, pois é.

ups...

Lado positivo (ou não) da coisa: já não enjoo chocolate.

what to expect when you´re expecting


Não percebo porque é que quando saiu este filme as críticas foram tão más.
Adorei! Ri-me tanto! (Eu sou nitidamente a personagem da Elisabeth Banks)
Ah... e a melhor surpresa nem foi tanto o Rodrigo Santoro. Foi esta :D

pintas report II

Com o pai fora, eu em modo pintas - com garganta inflamada, coceira desgraçada e tremeliques ocasionais - recambiei a minha criança para casa da avó.
Assim, estou home alone até amanhã. O que podia ser bom, se eu me pudesse pirar daqui para fora, mas não me parece boa ideia dar uma de contágio à população em geral. É que neste momento sou uma espécie de vulcão em erupção.
Por isso fico no aconchego do lar e já gozo.
Podia aproveitar para arrumar uma série de coisas, pois podia. Pois.
Mas acho que me fico pelo sofá e pelo Dexter.

Mas nem tudo são espinhos

A varicela não me está a deixar totalmente KO. É uma estirpe pouco agressiva esta, tal como foi com a minha cria.
Podia ser pior, temos margem de segurança, por já não estar no 1º trimestre.
Acima de tudo, quero acreditar que nada de mal vai acontecer.
E, melhor ainda, soubémos que vamos ter uma menina.

pintas report I

Coberta de pintas/borbulhas que me dão uma comichão (e disposição) doida, só posso depreender uma coisa: os putos são muitíssimo valentes. Têm 1001 maleitas - gastros, febres aftosas, conjuntivites, bronquiolites, varicelas - e mesmo assim, na medida do possível, continuam com energia. Eu tenho a mesma estirpe soft de varicela que a minha cria apanhou e arrasto-me pelos cantos. Ele estava sempre óptimo.
Um viva aos piquenos valentes (e às suas mães também, claro!).

por estes dias, podem chamar-me de pintas

Perguntava eu neste post qual era a notícia mais espetacular que se podia receber numa gravidez.
Pois bem, a mais espetacular é eu, efectivamente, estar com varicela*.
Cerca de 90% da população adulta é imune à varicela. Eu pertenço aos 10%. E apanho-a grávida. Ah! E soube hoje que contagiei um miúdo da família.
Não sei, mas se calhar era boa ideia jogar no euromilhões amanhã.

* Segundo o médico obstetra e o dermatologista não é alarmante, pelo facto de eu estar fora do 1º trimestre.

e assim se abrevia

Hoje fui buscar a minha cria à escola (adoro, por mim ía todos os dias).

Eu: Então querido, o que é que lanchaste?
Ele: Iogurte e peixe!!

Parto

Eu, o parto, a epidural e mais.
Aqui.

2ª rodada

Eu já tinha dado para este peditório, na minha primeira gravidez. E dei a sério. Todas as noites acordava e abraçava-me à sanita. Mas enfim, foi numa primeira fase e tudo acalmou ali pelas 16 semanas.
Nesta rodada há dias em que estou a 100%, outros em que passo as noites a soprar por causa dos enjôos.
A noite passada foi um festival. Cinco vezes que me abracei à sanita, cinco! O dia foi passado na cama, completamente KO, com mega enxaqueca à mistura, sem conseguir comer nada.
Isto está a ir bem, está.

the wild side

Gosto sempre da reacção da educadora e da auxiliar (ambas umas fôfas, by the way), quando lhes digo que o querido menino delas fez uma birra. "Ai mas não pode ser!! Mas ele é tão calminhoooo!!".
É bom ser desacreditada desta maneira.
A minha cria é uma criança calmita, é verdade. Mas quando se passa, leva tudo à frente. De repente o anjo na terra transforma-se em bicho. É chapadas em tudo o que vê à frente, é gritos, choro e, com sorte, vómitos!
Ah pois, mas isto sou eu a inventar, olha, se calhar espanco-o em segredo. Ou então invento tudo porque sou uma pessoa carente que precisa de compreensão e muitos miminhos.
Hoje tive uma noite animada.

Bebé Gourmet

Quem é que ainda não conhece a Bebé Gourmet?
Eu conheci através do facebook, a propósito de uma imagem partilhada por uma amiga. Foi uma imagem que me chamou a atenção: era um menu semanal, super diversificado nutritivo e original, para bebés/crianças.
A Bebé Gourmet é uma marca especializada em alimentação infantil. Com refeições de elevada qualidade, super criativas e cozinhadas com ingredientes biológicos de forma tradicional e caseira.
Há uma loja em Telheiras, na qual são vendidas refeições em regime de take away. Eu já lá fui espreitar uma vez, por curiosidade e adorei o conceito.
Morada da Bebé Gourmet: Rua Fernando Namora, 45 C, Telheiras.

é pra malhar

Eu avisei e eu VOLTEI!! Voltei ao ginásio, para quem não apanhou...
Quer dizer, eu tenho muita vontade de dizer que efectivamente voltei ao ginásio, mas para afirmar tal coisa tenho de ir mais vezes para fazer disto uma rotina outra vez.
Mas vamos por partes.
Comprei um fato-de-banho muito catita e um saco/trolley. Para voltar, há que voltar em grande.
Aconselho vivamente um saco destes (tipo trolley) especialmente para quem, como eu, anda com muita tralha atrás: saco do ginásio, casacos, criança, lancheira do almoço, etc. É muito prático, que aquilo é só puxar e fica-se com as mãos livres. Não há melhor.
O ginásio estava mais ou menos na mesma (eu não ía há triliões de meses) e passeei-me alegremente de barriga empinada até à piscina. Fazer hidroginástica grávida é uma coisa altamente, para quem não sabe.
É bom porque é de baixo impacto e até saltar conseguimos porque no fim tudo sai em versão câmera lenta. Uma vantagem para nabas descoordenadas como eu: debaixo de água todas as coreografias saem bem. Uma desvantagem para pançudas, muito deprimente por sinal: ao fim de 10 minutos de aula precisamos de ir fazer xixi.
O saldo foi muito positivo. Mas a aula podia ser mais cedo. Chegar a casa quase às 21:00 não dá.
É de repetir, noutro horário.
Próxima aula, pilates :D

cagufa totalmente compreensível

Sempre tive um trauma do caraças com dentistas. Eu prefiro ir ao ginecologista, a uma especialidade qualquer, do que ao dentista. Que trauma pá. E eu nunca sofri horrores nem nada. Até já descobri uma dentista fofinha que trata de tudo rápido, sempre com anestesia. Mas a cagufa continua. E o meu homem sabe disto.
Ontem resolveu dar uma de paizinho e perguntou-me quando é que eu estava a pensar ir ao dentista. Eu atirei para o ar "quando me marcares uma consulta". Isto porque ele nunca trata de nada, nunca agenda nada nem para ele, é o caos em pessoa. Mas não é que o homem me pega no telefone e marca uma consulta ainda para esta semana?! Tudo para me atormentar, claro.
Fiquei logo pálida, à procura de uma desculpa para não ir. E descobri :D
Cancelei, com a desculpa de agendar um higienista primeiro. Tooooda a gente sabe que é melhor fazer uma limpeza aos dentes antes de ir ao dentista, pois!! Então já está marcado: em meados de Dezembro vou primeiro ao higienista e no dia seguinte ao dentista.
Se ficar com cagufa, peço ao meu homem para me levar à força.

não vale a pena dizer que é bom em adivinhas...

Há uns dias comprei o "Up Altamente". Ontem à noite, eu, num mega excitex, para a minha cria:

Eu: Queridooooo, a mãe tem uma coisa para ti! Adivinha o que é!
Ele: É uma SUPRESA??
Eu: Sim! Adivinha o que é!
Ele: É uma supresa!
Eu: Sim... mas adivinha o que é a surpresa... É um fil...
Ele: Um filete!!

o reencontro

O reencontro com a minha cria foi uma emoção. Que disparate, foram só 5 dias blá blá blá. Mas a mim pareceram-me uma eternidade. E se antes ficava alguns dias longe sem que isso me afectasse muito, hoje em dia dou por mim muito choramingona.
Como qualquer mãe, gosto da parte em que os filhos são bebés. Mas, não me interpretem mal, gosto muito mais quando já andam e falam connosco. Quando nos dizem "gosto de ti", quando já fazem piadas e ironizam, quando nos fazem verdadeira companhia e nos tratam como princesas.
O meu miúdo só tem quase 3 anos, mas já me trata como se eu fosse alguém precioso. É uma paixão constante, feita da convivência desde que nasceu até ao dia de hoje. É uma cumplicidade que adoro e da qual cada vez mais desfruto. 

não querendo parecer obcecada...



é hoje

É hoje que vamos buscar a nossa cria. A varicela está quase extinta, logo, já não há o problema de o bicho pegar em mim.
O primeiro dia foi o que custou mais. Chegar a casa e não o ver a correr para mim e abraçar-me. Depois, soube bem dormir taaaanto, namorar, fazer programas até tarde.
Mas as saudades já são muitas. E hoje é o dia!

breves considerações sobre uma ida ao cinema

- O Daniel Craig tem TUDO no sítio.
- O Daniel Craig tem tudo no sítio e tem bolas de aço dentro dos boxers.
- O Javier Bardem faz o filme todo. Que actor!
- Descobri que adoro os filmes do 007. Quanto aos outros, não sei nem me lembro, mas o Skyfall está muito bom.
- Cuidado ao sairem do cinema depois de verem este filme. Vão ver espiões em todo o lado.
- Incrível como com apenas 16 semanas de gravidez, já não tenho posição para estar sentada muito tempo e nem consigo cruzar as pernas :S
- Ir ao cinema devia ser obrigatório, pelo menos uma vez por semana.

escolhas hormonalmente parvas

Apesar do espírito positivo dos últimos dias, não deixei de fazer escolhas infelizes quanto a filmes que vi. Não são maus filmes, são óptimos, mas com uma temática nada apropriada para uma grávida chorona.
Então vi "O amor e outras coisas impossíveis" e "Kramer vs Kramer". Grande pontaria, não?
Se és mulher, gostas de bons filmes e não estás hormonalmente histérica nem privada de estar com a tua descendência, vê, vê estes dois filmes que serão certamente horas bem passadas.
Bem, vou ali ver se encontro um outro filme mesmo bom, que não me martirize as hormonas.

Decidi aplicar a minha velha máxima, que apregoo sempre aos outros, mas nunca a mim própria.
Se não tens cão, caça com gato. Se não podes estar com o teu filho, ainda que por breves dias, não te deixes ficar choramingona. Aproveita a parte positiva. Namora muito, vai ao cinema, vai jantar fora, faz tudo o que nunca tens tempo para fazer. Assim preenches uma parte de ti que vive sempre insatisfeita e preparas-te para a melhor parte, que é abraçar novamente o teu filho. ♥

e mesmo antes do fim-de-semana...

Qual é a notícia mais espetacular que se pode receber quando se está grávida? Que o nosso filho de 2 anos tem varicela. Mais espetacular ainda? Que não somos imunes à varicela, sendo que tal facto é perigoso para a gravidez. Ainda mais espetacular: que não podemos ter qualquer contacto físico com o nosso filho doente de varicela, até o vírus dar de si.
Bicho do caraças, não podias ter dado à costa antes de eu engravidar? Ou mais tarde? Tinha de ser agora?
Assim, esperam-me alguns dias em que não posso beijar, abraçar, estar com a minha cria. Em que tem de ser outra pessoa a cuidar dele.
E eu que já me tinha artilhado de filmes, brincadeiras e jogos cá em casa para este fim-de-semana.
Agora é esperar que a praga se ponha a milhas e que nem pense em chegar até mim.
Vou ali inspirar e expirar.


baby learning family



A Baby Learning Family é uma aplicação criada por dois portugueses empreendedores que criaram um conceito inovador e muito engraçado.
É uma App dirigida à criançada até aos 3 anos e tem como objectivo ensinar "quem é quem" na vida familiar. É simples, didáctico e divertido!
Aqui fica a explicação de como funciona: Com um layout baseado num álbum fotográfico, cada página apresenta várias fotografias possíveis que a criança deverá selecionar para responder à questão “Onde está a avó?” ou “Onde está o papá?”. Ao selecionar o elemento familiar solicitado, um simples toque no ecrã dará lugar a um pequeno filme ou a uma gravação áudio dirigida ao bebé. E porque cada família é única, toda a aplicação funciona com base em conteúdos personalizados, fazendo de cada aplicação única e exclusiva. Todas as fotografias, sons e filmes deverão ser previamente configurados com os elementos que compõem o mundo desta criança: avós, pais, irmãos, tios, primos, animais de estimação, amigos próximos, ninguém ficará esquecido.

O Baby Learning Family já está disponível na App Store, para o mercado nacional e internacional (155 países no total), para as plataformas iPhone, iPad e iPod Touch com iOS6.



o cúmulo da gula

... é esperar ansiosamente que o teu filho vá dormir para poderes abrir um saco de pipocas.

E estar com uma mão a escrever este post e com a outra a comer as pipocas.

as mulheres só complicam

Batata-frita-pequena estava a brincar com o beyblade. De repente um pião vai para baixo do sofá.
Eu olho para ele com ar de "já foste". Baixo-me, espreito e vejo a cena completamente inacessível, debaixo do sofá.
"Vou ter de arrastar o sofá", digo, com ar grave.
De repente aparece a minha cria com um cabo de vassoura, diz-me "chega para lá" e tira o pião de baixo do sofá.
Mulheres...

diagnóstico do dia: varicela

Toma lá e embrulha. Ora que coisa tão jeitosa, assim em véspera de fim-de-semana.
Estava eu ontem a dar banho à minha criança quando vejo o peito dele cheio de borbulhinhas. Percebi logo que bicho era aquele. Eu já estava à espera, que mais dia menos dia isto desse à costa. E até foi mansinho, ainda não há febre nem nada, só as borbulhas.
Depois o pânico: varicela, cena contagiosa, cena perigosa para quem não teve varicela, cena perigosa para GRÁVIDAS, MAS EU TIVE VARICELA OU NÃO?? E a frustração de ninguém da minha família se lembrar. Isto de ser a segunda filha inevitavelmente dá na negligência. Ninguém sabe.
Então toca de ligar ao médico que diz que me passa a requisição para análise ao sangue, que determina se sou imune ou não.
Uma manhã em que fiz 3 vezes a 2ª circular para ir buscar a requisição e para ir ao laboratório que me dá o resultado no próprio dia. Uma manhã do mais animada que há.
Agora é esperar e não desesperar.
E que o bicho se vá embora rápido, já agora.

I ♥ FB

Quem diz que o Facebook é a praga do século, que não traz nada de bom à humanidade... é tótó.
Ou eu não tivesse conhecido pessoas especiais só pelo FB. Melhor, ou eu não tivesse recebido isto hoje:




acalma-te cota...

Temos tido alguns problemas de birras matinais.
Por isso ontem disse para a minha cria "Amanhã de manhã não quero birras!".
Resposta dele "Está bem. Não te preocupes."

a prova de que educar por repetição funciona

De cada vez que eu e a minha cria vamos a uma casa-de-banho pública, assim que entramos na dita, eu começo logo a disparar "Não mexe em nada! Não me-xe em na-da!! Não toca em nada!!!".
Ontem entrámos numa casa-de-banho e quando eu ía começar o discurso telegrama, diz ele "NÃO MEXE! NÃO MEXE EM NADA!! NÃO TOCA EM NADA!!!".

:D

Quarto de Mudança

O makeover que se segue - ou o que visualizam num computador perto de vós -  é da autoria do Quarto de Mudança. Adorei!

roupa interior deprimida

Há uma coisa que me deprime verdadeiramente na gravidez e essa coisa é a lingerie para grávida e pós-parto.
A malta sabe que tudo o que se quer é algo confortável, mas pelo amor da santa, uma mulher gosta sempre de se sentir bonita. A gravidez não dá imunidade à roupa interior feia. Não é possível que de um momento para o outro não tenhamos mais o gosto em nos sentirmos giras underneath.
Eu adoro roupa interior, é uma coisa que me assiste muitíssimo. Por isso fico deprimida com a oferta que existe na gravidez e depois do parto.
Na primeira gravidez censurei o meu gosto por roupa interior e rendi-me ao conforto e ao básico. Mas desta vez está a ser mais difícil, depois de um período em que me sentia verdadeiramente vaidosa e em forma.
Assim, a busca por roupa interior bonita começou.
Encontrei uns básicos acetinados da Dim muito engraçados, mas são básicos no verdadeiro sentido da palavra. 
Se alguém tiver ideias luminosas, é favor partilhar, tá?

sabes que o teu filho aprendeu para que servem os semáforos, quando...

vais a conduzir e a ouvir "Agora está vermelho. Oh! Agora está verde. Anda! Rápido!!!"

quão ingrato é...

Fazer uma noitada com amigos, não poder beber álcool por razões óbvias e mesmo assim acordar no dia seguinte com a sensação de ressaca (com direito a dor de cabeça, cérebro a meio gás, etc)?

( . )

Agora que já vou com quase 15 semanas de gravidez e já não parece simplesmente que comi donuts a mais, adoro vestir roupa justa e exibir a barriga. Sempre gostei. Ele há coisas: nunca na vida tive tanto orgulho e vontade em mostrar a pança como quando estou grávida. Já da primeira gravidez foi assim. É aproveitar, que depois de certezinha que já não vou ter a mesma vaidade quando a criança nascer.
Entretanto, andamos numa odisseia em busca do nome perfeito. Para menino temos um nome escolhido há muito. Para menina, não há nada que nos fascine. Verdade, há muito que eu tenho uma grande vontade de ter uma menina não vou esconder, mas não faço ideia que nome gostaria de lhe dar.
Os enjôos é que já me desamparavam a loja. Já não há paciência. É sempre à mesma hora, pela hora do jantar. Às vezes atenua. Outras vezes, fazem-me ir abraçar a sanita. Que linda visão, pois é.

homens e mulheres II

Quando eu achava que homens e mulheres não podiam ser mais opostos, recebo reacções muito peculiares ao anunciar a minha gravidez a caros colegas de trabalho (todos homens).
Primeira reacção - "Ah, eu já tinha notado qualquer coisa sim."
Segunda reacção - "Já tinha reparado. Tu estás com uma cara diferente."

A minha teoria, de que eles só íam dar por isto lá para os 7 meses de gravidez foi-se por água abaixo.
Caras leitoras, fica um aviso: não substimem os homens.

curtas da minha cria

Hoje de manhã, antes de eu ir trabalhar, tínhamos ainda um bocadinho só os dois. E deu-se o seguinte diálogo:

Eu: Queres brincar com os comboios?
Ele: Não. Estou cansado.

--

À noite, já na cama, ele pede "miminhos" e eu afago-lhe o cabelo, cheiro-lhe o pescoço (adoro) e digo-lhe "Gosto muito de ti". 
Recentemente, decidiu que eu também preciso de mimos, por isso pede-me para chegar ao pé dele e afaga-me o cabelo. Afaga-me o cabelo com muita energia. E o resultado é algo parecido com isto:


é pra malhar (com barriga e tudo)

Depois de 3 meses sem poder ir àquele sítio maléfico que dá pelo nome de ginásio, eis que tomei uma medida do mais radical! Trouxe o saco do ginásio, que estava na mala do carro há meses. Bolorento que só ele. Na verdade, acho que já havia ali uma relação sentimental entre o próprio do carro e o saco. Mas isso acabooooou!
Quer dizer, o primeiro passo está dado. Agora é preciso abrir o saco (medo medo), renovar o stock e fazer-me à passadeira e às aulas. Sim, que a minha resistência foi para o espaço e eu tenho de me mexer, agora que tenho carta branca do Sr. Médico. 
Macacos me mordam se eu não vou ser uma grávida do fitness, carago.

fim-de-semana

Cenário de sexta-feira: eu, com uma gripe de caixão à cova. Batata-frita-pequena com tosse cavernosa e gripe iminente.
Que bom prenúncio de fim-de-semana!
Mas safámo-nos. A minha gripe acalmou (ficar longe do iglo escritório ajuda), a gripe na minha cria ainda não baixou, mas anda ali um qualquer bicho feio. Amanhã não há escola para ninguém, isso é mais que certo.
Tivémos duas festas. Ter uma família com muitas crianças é uma coisa altamente. Viro-me para uma parte da família e é só crianças. Viro-me para a outra parte e há ainda mais crianças. É bom. Há barulho e confusão. Mas também muita risota e amigos para a minha cria.
Fiz um bolo muito fôfo no verdadeiro sentido da palavra. É de chocolate, nada enjoativo e muiiito fofinho. Tirei a receita daqui. Ai ca maravilha. A minha criança mais nova agradeceu, eu também e a minha barriga cresceu mais uns milímetros, de certeza.
Foi mais uma semana que completei e mais uma que não documentei. Estou a ser altamente negligente com o meu mais novo. No 1º filho iniciei um diário e era só fotos semanais. Para já, ainda nada. A ver se recupero as semanas perdidas. A ver.

mau maria

Ai ai que já falámos melhor.
Está aqui uma pessoa à espera que o sporting acabe de jogar para ver finalmente coisas de jeito e quando a DD começa a minha box desata a engasgar-se e perco ali uma data de cenas altamente importantes.
Ai ai ai.

homens e mulheres

Um destes dias, conduzia eu o meu carro com um caro colega do trabalho ao lado.
Nisto, abrando numa passadeira para uma deusa de cabelo negro atravessar a estrada.

Digo eu: Que cabelo espetacular pá!
Diz caro colega: Que rabo do caraças!

post de solidariedade para com grávidas que enjoam terrivelmente

És mulher? Estás grávida? Enjoas como se não houvesse amanhã?
Se respondeste sim a tudo, então bem-vinda ao clube das desgraçadas como eu.
O mundo pré-grávido era maravilhoso, mas agora tudo é razão para enjoar. O perfume dos outros, o cheiro a comida, a condução da cara-metade (ok, esta já era antes), o simples levantar da cama de manhã, o simples fazer o que quer que seja, não vale a pena estender mais a lista.
Gostava de saber porque o fenómeno dos enjoos só baixa em algumas mulheres. É prenúncio de alguma coisa? Karma? Castigo transferido de outra encarnação? Praga?
Mas... animai-vos caras colegas. Há sempre vantagens. Este é o meu lema (há vantagens em tudo, em qualquer situação, mesmo nas piores). Aqui vão elas:

1º- ao fim-de-semana podes ficar na cama de manhã mais um bocado. O "estou muito enjoada" compadece qualquer marido.
2º- não engordas. Com sorte, até emagreces. As tuas roupas servirão até mais tarde yay!
3º- não cozinhas porque "o cheiro da comida enjoa". O marido vai finalmente aprender a cozinhar qualquer coisa para além dos ovos estrelados.
4º-Não me lembro de mais nada. Sejamos honestas, não há assim muito mais vantagens...

Enjoar é uma seca. Dá-nos cabo do humor, da mobilidade, da rotina, da disposição para namorar.
Mas... com sorte acaba ali no final do primeiro trimestre. Ou mais para a frente, como foi o meu caso na primeira gravidez e como está a ser agora. Já lá vão quase 14 semanas e isto não há maneira de acalmar.
É respirar fundo, emborcar nausefes e esperar pelo dia em que o sacana do enjoo desaparece.
Há sempre maneira de tentar enganar os enjoos. No meu caso é beber água fresca (acalma o estômago), não comer comidas pesadas nem fritos nem asneiras, comer de 2 em 2 horas (ou menos), andar sempre com um snack na mala, tomar logo o pequeno-almoço quando acordo, comer qualquer coisinha leve antes de deitar. Comer mesmo que não se tenha vontade.
Isto não resulta a 100%, mas acredito que deva ajudar minimamente.
É assim gente, a aventura não começa só quando o baby nasce, a aventura começa no estômago. 
Tratem-se bem, tá? Com votos de não se abraçarem muitas vezes à sanita.

correr

Agora tenho um homem dado às corridas.
Eu acho muito bem e puxo por ele para correr todos os dias. Se começa a fraquejar começo logo a falar-lhe do colesterol. Gosto de o ver assim, só tenho pena que dure pouco. A cena das corridas é sempre assim: primeiro é a excitação, depois farta-se e voltamos ao mesmo.
Eu acho que correr é uma paixão que nasce connosco ou não. Às vezes é uma paixão escondida, que descobrimos mais cedo ou mais tarde. Mas quando não é uma coisa que gostamos genuinamente (que infelizmente é o caso), acabamos por deixar.
Enfim, enquanto for correndo e mexendo-se já é bom.

desprezo infantil

Toooodas as noites quando vou deitar a minha cria, ele diz-me com um ar muito fôfo "Dá-me beijinhos e miminhos".
Hoje fui deitá-lo e deu-se o seguinte diálogo:

Eu: "Queres miminhos?"
Ele: "Agora não posso, estou ocupado."


o cúmulo da coerência

Diz a fôfa da Natalie Portman numa revista (atenção que adoro-a, é uma jóia de moça e actriz) "Agora uso produtos de beleza sem substâncias químicas, porque as crianças acabam por levar à boca tudo o que temos na cara ou nas mãos".
De notar que a Natalie Portman é, pelo segundo ano consecutivo, o rosto da Dior.
Dior... cremes, perfumes, vernizes e tal. Tudo mega natural. Oh Natalie.

ele

O Senhor abençoou-me com um homem muito jeitoso, mas com alguns pormenores que me tiram do sério.
Um deles, desde sempre, é eu estar a ver (com muita vontade e concentração) uma série que gosto muito e ele interromper-me de 5 em 5 minutos com perguntas altamente pertinentes, do género "mas quem é esta?", "mas porque é que ele está a dizer aquilo?", "mas esta não era má?". Tudo atirado para o ar, nem é vontade de seguir, é apenas prazer em tentar obter informação para finalidade nenhuma (depois não volta a ver aquilo) e, desconfio, prazer em atormentar-me.
Aprendi um truque há uns anos que basicamente consiste em responder "não sei", ou quando as perguntas me começam a irritar mesmo, ficar calada e não olhar. Aí o homem apercebe-se que começo a ficar irada e não insiste muito mais. 
Dependendo dos dias, se estiver numa de me melgar, continua com as perguntas.
 

particularidades bonitas dos 2 anos

No Sábado tive um filho bem comportado, que comeu scones connosco ao pequeno-almoço, que brincou de pijama a manhã toda, que almoçou fora tranquilamente e que nos deu um final de dia igualmente grandioso, com os nossos amigos, também eles com filhos.
Hoje tive outro filho, em quem baixou o demo. Que foi connosco ao teatro de manhã e que depois fez a birra da vida dele ao almoço. Foi uma birra em público, que me deixou especialmente eriçada. Não lido bem com birras em público, não sou capaz de ignorá-las. 
Tudo porque a nossa cria acha que já não tem idade para sestas e depois o cansaço acumula, acumula até ao dia em que deita a casa abaixo. Foi o que aconteceu hoje e provavelmente muitas mais vezes na infância dele (medo medo).
E os maravilhosos 30 cabelos brancos que já habitam na minha juba.

pergunta altamente pertinente

Será aconselhável comer um bolo que foi congelado há 9 meses?
Pretendo descongelá-lo antes de lhe deitar o dente, como é óbvio :D

festa

Este fim-de-semana estive numa festa de miúdos. Muitos miúdos. Resmas. E alguns adultos (os pais, alguma família e amigos).
Tudo a correr bem até uma altura em que um miúdo resolveu atirar um qualquer objecto pesado à cara de outro miúdo. Eram os dois traquinas, tinham o mesmo tamanho e andavam a pegar-se há horas. Resultado: sobrolho aberto, ida ao hospital e alguns pontos.
Estavam sozinhos, eles e outras crianças numa divisão da casa, todos supostamente a brincar. A intenção dos donos da festa era que todos se divertissem. São pais atentos e responsáveis, mas não conseguiram evitar esta situação. Porque a festa dá, inevitavelmente, muito trabalho e distrai-nos a cada minuto. Havia muito a fazer da parte deles: tirar/pôr comida na mesa, receber convidados, gerir a confusão, etc.
Isto fez-me acordar para a vida e pensar nas implicações de um dia deixar o meu filho numa festa de um amigo. É óptimo para eles brincarem e conviverem, claro, mas não posso deixar de pensar que o pior sítio para se fazer uma festa de aniversário é na nossa própria casa. Por mais atentos que queiramos estar, há 10674 coisas a precisar da nossa atenção. Ou temos 35 empregados a dar conta da festa e uma educadora a vigiar as crianças ou então arriscamos a sorte.
Alguém uma vez me disse que uma festa de crianças com adultos não oferece segurança nenhuma. Porque os adultos distraem-se uns com os outros e inevitavelmente deixam de estar constantemente de olho nos miúdos.
Falo por mim que, embora tendo um miúdo de apenas 2 anos e 9 meses, deixei-o brincar não estando sempre em cima dele. De vez em quando espreitava-o, mas não estava sempre na mesma divisão que ele.
E quando acontece um azar? Um azar pode acontecer sempre, claro. Mas quando damos uma festa na nossa casa com crianças não implica só a diversão ou o trabalho. Implica a responsabilidade sobre os menores que não estão acompanhados dos pais. Creio que este caso num qualquer outro país dava pano para mangas.
A minha melhor solução para isto é e será sempre fazer uma festa pequena com poucas crianças ou optar por uma solução fora de casa. Uma festa fora de casa é sempre o ideal, porque chegando mais cedo e preparando tudo há muito mais disponibilidade da parte dos pais que organizam a festa. O grande problema desta solução é o preço de contratar um espaço e possivelmente o catering.
Honestamente às vezes pode compensar. Imaginando que na nossa casa algo se parte ou o sofá é manchado de vinho, ou a parede. O estado em que a casa fica e o tempo que ficamos a limpá-la. E, na pior das hipóteses, uma conta de hospital para pagar (isola isola...).
Isto é um pau de três bicos. Se antes eu dizia que nunca deixaria um filho sem mim numa festa com piscina, agora penso duas vezes em deixá-lo sozinho na casa de alguém.
Até lá ainda há tempo para pensar, mas quando o dia chegar estou feita.

as palavras mágicas

E quando ouvimos pela primeira vez do nosso filho as palavras "gosto muito de ti"?
Isto é mel, é música, é o que nos sabe melhor ouvir.

trip advisor, o brincalhão

Hoje recebi um email do Trip Advisor com o subject "10 extravagant hotels".
Como sou uma pessoa dada à curiosidade, abri o email e li "10 extravagant hotels - For travelers with expensive taste".
Bem, gente do Trip Advisor, vocês são uns curtidos e queridos por se lembrarem de mim. 
Sim, eu consulto-vos sempre que quero investigar um hotel, mas daí a querer reservar um hotel caro e extravagante, quer dizer... Verdade seja dita: eu até tenho um gosto caro e gosto de hotéis faustosos, mas daí a dormir neles...
Ok, valeu a intenção, tá?
E como eu sou vossa amiga e se houver por aí alguém com bom gosto como eu e muita nota no bolso (não como eu...), tomem lá a lista pá!

ir à guerra e voltar

Hoje fui uma daquelas mães para quem olhamos com pena, compaixão ou medo, que estão acompanhadas por seres minúsculos demoníacos.
Fui muito contente buscar a minha cria à escola, é uma cena que adoro fazer (raramente vou) e tive a ideia espetacular de ir lanchar com ele ao shopping perto de casa. Pois se tinha de lá ir a uma loja levantar uma encomenda, vinha mesmo a calhar. Pensava eu. Ah pois, também tinha de repôr o stock de meias, por isso vale também uma ida à Calzedonia.
Batata-frita-pequena quis ir pelo próprio pé, não quis carrinho. E não quis dar a mão porque "aqui não há carros". Então fui muito contente com esta independência, com ele a acompanhar o meu passo como um menino crescido.
Cinco minutos mais tarde, vê uma miúda num carrinho e lembra-se que quer o carrinho dele. Explico-lhe que o vamos buscar depois de irmos comprar meias. Começa a birrinha. Entramos na loja e foi uma cena linda. Eu a tentar dialogar com a empregada e ele com a ladaínha "quero o carrinho! Quero o carrinho! Eu quero o carrinhoooooo!". Não valeram os meus olhares assassinos nem a minha explicação pedagógica. Começou a estrebuchar cada vez mais, com a loja toda a olhar para nós. Paguei o mais rápido possível e fui buscar o carrinho.
Mas, subitamente, quando ele já estava no carrinho, dentro do elevador, começa com a birra outra vez e a cena começou a subir de volume. Uma mãe de 2 miúdos, dentro do elevador diz-me "ai como a compreendo. É respirar fundo e contar até 10, ter muita calma!". Apeteceu-me dizer-lhe "É mas é uma palmada neste rabo!!", mas com medo que me aparecesse a comissão de protecção de menores, apenas sorri.
Ida fugaz à loja para levantar a encomenda, com a criança a passar-se e eu a passar-me também.
De repente fez-se luz "é fome pá!! Só pode!", por isso levei-o a lanchar, mas foi novamente o PESADELO, com toda a gente a olhar para nós. Engoli rapidamente o pão de leite e o galão e pirei-me.
Na garagem meia hora para sua excelência de sentar na cadeira (avistou o chapéu de chuva no banco detrás e decidiu brincar com ele). Passo-me e grito "SENTA JÁ!!", ao que a personagem me responde "Calmaaaaa!!". Controlei o riso nervoso, pus o cinto e rumei a casa.
Men, que fim de tarde tão comprida, juro.
Batata-frita-pai esperava-nos em casa e disse-lhe "é todo teu, vou avisando que está apuradinho", pelo que só sei que ouvi que o banho teve algum choro e que houve alguma dificuldade a vesti-lo a seguir. Foi a minha conclusão, ao vê-lo correr pela casa só com as cuecas vestidas.
O resto da noite foi para lá de animado e acabou em beleza, com um prato partido e o chão da cozinha cheio de vidrinhos afiados, bestial para quem, como eu, gosta de andar descalça pelo lar.

Sinto que hoje fui à guerra.


e quando o estúpido do disco externo pifa?

Fotos de toda uma vida (ok, dos últimos 10 anos) que se evaporaram naquela caixa preta parva.
O que é que eu faço à minha vidaaaaaaaa.
Um conselho muito útil, gente: tenham mais do que um disco externo. Façam backups também para dvds, resmas. 
Porque uma pessoa nunca sabe quando é que estas cenas ficam com amnésia.

ao amor



http://loveetcthemovie.com/

Sim, sou uma pirosa quitadíssima



Prevejo excitação absoluta daqui a poucas horas, quando a minha cria puser a vista em cima das galochas novas :D

ter um homem com a cabeça na lua

Eu tenho um homem desnorteado.
Hoje de manhã, ía mesmo a sair de casa, voltou atrás e disse "Oh! Esqueci-me de comer!".

galochas

Com a chuva vem a vontade de nos pregarmos à cama e não sair de lá.
Este seria um cenário interessante, não tivesse a malta coisas para fazer tais como levar a criançada à escola, ir trabalhar ou simplesmente ter de sair de casa por outro motivo qualquer.
Mas, quando chove as sabrinas já eram, apesar de serem tão fofinhas. Os botins são jeitosos, mas não protegem as pernas que, inevitavelmente, ficam encharcadas com o vendaval. As botas de pele são uma boa opção, mas com a chuva ficam húmidas (quem não fica com a sensação de pés molhados?).
Por isso é que as galochas são uma coisa altamente. Para serem usadas com tempo frio ou nem por isso, elas são impermeáveis, ponto! Não passa chuva nenhuma e, dependendo das marcas ou modelos, são confortáveis. Ah, e são uma tendência que já se nota há algumas estações.
Mas... e como é que uma pessoa coordena o outfit com galochas? Isto é um dilema, pelo menos para mim, especialmente porque na altura em que comprei umas hunter, comprei na côr beringela. A côr é o máximo, mas condiciona algumas escolhas de roupas.
Mas há uma infindável possibilidade, ora atentem:












alerta alerta

Um conselho extremamente útil para quem me lê: NÃO VÃO ver o "Impy na Terra da Magia"
É muito mau, muito pobrezinho. Os diálogos são pobres, não tem piada, é basicamente um filme de desenhos animados para encher chouriços.
Vale a pena aguardar por filmes que valem realmente a pena, seriously.

O meu amor

Eu bem digo que a minha criança é só mel, um fôfo. 
Chama a bonecada (Nenucos, Uki, Panda...) de "meus amores".
Adoro.

Papéis invertidos

Há pouco, eu e a minha cria brincávamos com a plasticina. 
Eu fazia borboletas, ele fazia patos. 
Eu pedi-lhe a forma dele de pato. Ele disse "não!", eu disse "não brinco mais contigo!" (estão a ver o meu nível de maturidade...). Ele respondeu "calminha! Não faz birra". 

 ????

Eu, tu e o colesterol

Hoje ao almoço ía tendo um ataque. 
Primeiro estranhei o facto do meu homem estar a comer um bife grelhado e uma SALADA DE TOMATE e fiz essa observação. 
Foi então que ele me disse, entre dentes, que tinha feito um teste de farmácia ao colesterol e que o resultado tinha sido "fora do normal". 
Fiquei com a cara paralisada e deixei de mastigar o meu arroz de wasabi e camarão do Go Natural e perguntei "o que é exactamente fora do normal?...". Então disse-me, que nem apareceu um valor, que basicamente o valor de tão alto que era dizia apenas "high". 
Ora, eu, que sou pessoa que se assusta com estas cenas e me preocupo sempre com o que como, dei o 58675º sermão sobre os malefícios de um nível de colesterol elevado, que não queria ficar viúva, que ele tinha de mudar e que tinha filhos para criar. 
O pior é que sei que isto volta sempre ao mesmo. Vou obrigá-lo a ir jogar ténnis, vou pôr-lhe salada no prato todos os dias (de repente lembrei-me que ele ontem quis mesmo muito comer salada ao jantar...), vou censurar idas a marisqueiras, vou ser a Asae da vida dele, mas daqui a pouco tempo volta tudo ao mesmo.

Uma vida (im)perfeita

Eu, em tempos longínquos, fui uma pessoa muito organizada nesta vida. 
Tudo tinha uma ordem. A roupa era organizada (ainda é ahahah!!) por cores e género, a sala não tinha nada fora do sítio (isto é que já não volta a ser), o meu quarto era um santuário, a casa-de-banho tinha cremes e frasquinhos todos organizados (suspiro...). 
Quando chegava a casa, havia tempo para pôr música, pôr um incenso e cozinhar, imagine-se, a beber um martini!!! Sacrilégio!! 
Depois conheci o homem que me deu a volta ao coração e à casa. 
Caótico, muito caótico. Meias por todo o lado, roupa espalhada pela sala, moedas e chaves abandonadas pelos cantos da casa, alergia a lavar a loiça, enfim, tudo ao molho. 
Eu tinha duas hipóteses: mandá-lo dar uma volta e continuar na minha bolha imaculada ou baixar as armas e entrar no mundo dele. 
Podia dizer que tudo correu bem, que o amor é lindo e uma cabana e o coiso, mas seria hipócrita da minha parte para vocês que me lêem, leitoras do meu coração. 
Não foi pacífica a adaptação. Mudámos os dois. Eu deixei de achar que ter a vida e a casa organizada era uma prioridade. Ele, provavelmente porque se apaixonou perdidamente por mim e mais provavelmente ainda porque não me queria ouvir mais também mudou. Cedemos de parte a parte. 
De vez em quando ainda há confrontos acesos (nem tudo está na paz do Senhor), mas já não fico com os nérvus como antes. Já não me afecta ter a sala cheia de moedas semeadas por todo o lado (o meu homem parece um mealheiro roto ambulante, é um fenómeno), ter a cama por fazer ou não saber das chaves de casa. 
Ainda mais agora que temos descendência, tudo ficou ainda mais caótico. A minha sala é o Toys r us, a minha cama é uma estação de serviço de camionistas, o meu carro tem bolachas esmagadas no chão. 
A minha vida mudou. Eu mudei. Nós mudámos. 
Por vezes sinto-me estranhamente mais relaxada, agora que não tenho de ter tudo em ordem. Ainda me passo quando as coisas passam o limite do razoável, aí tento não ranger os dentes e pedir com jeitinho. Eu diria que a minha vida agora está menos programada, no entanto estranhamente, nunca me pareceu tão perfeita.

a vida real

Num cenário idílico, à hora de deitar eu chegava ao meu quarto e teria a cama toda arrumadinha, com 463 almofadas organizadas com intervalos de 3 mm.


Mas como sou só "eu", chego ao meu quarto e tenho de tirar os camiões e computador do Gomby para me deitar.

o regresso deles

Andava a seguir esta história há meses pelo facebook e hoje vi que chegaram a Portugal.
Invejo a valentia e decisão dos pais. Que viagem tão rica, que experiência tão marcante deve ter sido.

Pára tudo que estou a ver o Rodrigo Santoro na Lost!

Eu sabia que esta série havia de dar a volta (no bom sentido) algures.

zara kids






É verdade que há todo um mundo de roupas maravilhosas para meninas, mas a Zara tem peças cada vez mais giras para miúdos! Adoro!

eu tenho as leitoras mais fofinhas

Obrigada a todas vocês que deram sugestões muito fixolas de filmes para a minha cria.
Graças a vocês, já tenho montes de filmes na manga!
E falando de cinema, um filme que definitivamente quero ir ver com a minha criança é o Impy, na Terra da Magia

Ter duas crianças em casa é...

O pai sacar o Madagáscar 3, estarem os dois vidrados naquilo até à hora em que a criança vai para a cama.
E depois o pai continuar a ver o resto do filme até ao fim.

cinemar em modo animado

Agora que descobri um pequeno cinéfilo em casa (temos tido sessões de cinema nocturnas antes de ir para a cama), já topei o top three. São eles:

- Madagáscar 2: é perfeito. Tem tudo o que agrada a um miúdo: animais que falam, dançam, cantam. E uma história gira e muito cómica.

- Carros: apesar de estar um bocado farta, há que reconhecer que esta é uma opção que brilha e resulta sempre. Gajos + carros = sucesso.

- Panda Kung Fu: é um Panda fofinho muito cómico. Cenas de Kung Fu muito boas!

Agora ando em busca do Madagáscar 1. E de outras opções. Sugestões gente. Sugestões são bem-vindas.


ter um pequeno homem

Eu não sei se está relacionada a diferença dos sexos, mas sem dúvida nenhuma que a minha cria é muito mais meloso, muito mais fôfo comigo do que com o pai.
A mim dá-me beijinhos do nada, preocupa-se se me vê com ar aflito, enfim, está sempre atento (fora obviamente, quando está com a birra).
É um amor constante, é uma ligação muito nossa que se calhar terá alguns ajustes durante a vida, mas que imagino que perdurará, espero.
Não sei se com meninas é diferente, eu sempre fui menina do papá, por isso bate certo, mas não deixa de ser interessante que desde tão cedo haja uma afinidade com a diferença dos sexos.
Algo me diz que na vida serei mãe só de rapazes. Não sei, é um palpite que me assiste.
Por um lado amava ter uma menina, sempre quis. Mas por outro dou por mim a pensar se não ficarei mais bem tratada com rapazes.
A ver!

é para comer tudo se faz favor!

Ao jantar, não comi tudo o que tinha no meu prato.

Batata-frita-pequena: Já acabaste?
Eu: Sim.
Batata-frita-pequena: Não, não... Ainda falta um bocadinho, vá lá!

voar para fora do ninho

Sexta-feira calhou-me o brinde de receber as minhas sobrinhas para pernoitarem em minha casa.
Têm 6 e 8 anos e a verdade é que miúdas (pelos menos estas minhas) desta idade não dão trabalho nenhum. Quem se passou com a excitação foi a minha criança. Não há nada que goste mais do que ter miúdos a dormir cá em casa. É o excitex em nível máximo, é qualquer coisa. Quem se portou verdadeiramente menos bem foi ele, por causa de tanta excitação. 
De resto, tudo correu sobre rodas. Eu não fazia tudo, eu apenas comandava a tropa, organizava os programas. E é tão fácil agradar miúdos. Um filme, um jantar no McDonalds, uma ida ao Parque e fica tudo satisfeito. Espetacular seria se fosse sempre assim tão fácil agradar graúdos.
E hoje, depois de uma ida à praia (que estava vazia) onde se fizeram castelos e jogos, a minha criança pirou-se para casa das primas. Ando a criar um desvairado, está visto. Não pensou duas vezes em aceitar o convite para dormir fora. Nem olhou para trás.
Sinto-me levemente ignorada! Mas ao mesmo tempo feliz por ver a minha cria voar para fora do ninho.

papéis ligeiramente invertidos

Eu ainda não tinha falado sobre isto, mas a minha ilustre cria deixou de fazer a sesta há cerca de 1 mês.
Não faz não porque embirra que não quer fazer, ele genuinamente não tem sono. Já tentei tudo, mas o puto não há meio de dormir a meio do dia. Só começa a quebrar lá para as 18h e a essa hora já não faz sentido deitá-lo.
Ontem tentei levá-lo para a minha cama, para fazermos os dois a sesta e deu-se um milagre ansiado por mim e por todos os pais deste mundo. Eu adormeci e ele, muito devagarinho e silencioso, pirou-se para a sala para brincar. Eu fiquei a fazer a sesta e ele foi à vida dele. Papéis ligeiramente invertidos, eu sei. Soube mesmo bem! 
Era bom que se voltasse a repetir, era era.

:D

Eu e batata-frita-pequena estamos de saída.
Eu ajudo-o a calçar-se.
Calço-lhe uma meia.
Depois ele estica o outro pé e diz despacha-te, o meu pé está à espera!!

and now something completely different

Estou aqui a ver a Gabriela.
A Maitê Proença não envelhece??? Não baixa nenhuma ruga naqueles binóculos verdes?

homens e mulheres

Hoje, bem a propósito do meu dia espetacular (começou com a parva da empregada a despedir-se por SMS 1 hora depois da suposta hora em que começava a trabalhar e acabou com uma enorme birra entre homens, gerida por mim), apetece-me divagar sobre zangas de mulheres e homens.
As zangas de mulheres são sempre muito aguçadas e elaboradas, com requintes de mesquinhice, malvadez e vingança. Com sorte saem também uns chapadões e puxões de cabelos.
As zangas entre os homens são mais raras, mas são especialmente irritantes. Senão, vejamos: são 1000 vezes mais infantis. Não elaboram. São primitivos. Chamam nomes uns aos outros e andam à pêra. Não há para ali grande história por trás, a origem é sempre qualquer coisa de básico.
Mais annoying que stresses de gajas, são as birras dos gajos. Para acalmá-los é preciso uma mulher fazer de mãe deles e mandar cada um para seu canto.
A testosterona consegue ser uma coisa muito viril, mas também pode ser altamente irritante.

só não perdes a cabeça por ela estar colada ao corpo

Estão a ver aquilo que se costuma dizer "só não perdes a cabeça por ela estar colada ao corpo"?
Isto por norma não se aplica a mim, mas hoje baixou em mim um bicho qualquer que me fez vir embora do trabalho sem a minha mala! Sim, deixei a minha mala só e abandonada e vim embora assim na boa, sem dar por falta de nada...
O plano para a tarde era passar na pastelaria preferida e comprar os bolinhos que a minha cria tanto gosta, ir buscá-lo à avó e depois irmos andar de bicicleta com as primas.
Cheguei à zona da pastelaria, estacionei o carro, ía a pegar na mala e... não havia mala. Buuuuurra.
Não tinha dinheiro, telemóvel, documentos, não tinha nada. Por isso não houve bolos para ninguém.
Fui buscar a minha cria. Por sorte avó e neto estavam na rua a passear (não consigo decorar o andar) e não foi preciso telefonar, porque telemóvel... nem vê-lo!
Fomos buscar as primas e andar de bicicleta. Comecei a gostar de não andar com a mala atrás.
Regresso a casa. Paragem na mercearia para comprar fiambre. Compravas o caraças, que não há carteira, não há sequer umas míseras moedas no carro. Que looser.
Chegados a casa e estafados, ele meio adormecido bebeu dois biberons de leite e comeu um queijo fresco. Eu comi um iogurte e um wrap.
Vimos o Thomas, o Olly Dive e um cão qualquer com poderes super sónicos no Panda.
Que saudades da minha cria. Tão bom tê-lo ao pé de mim outra vez.
Saudades da minha mala. Amanhã nos encontraremos.

20:00


Uma salada que vai sempre bem e inspirada no Smooth, uma espécie de fast food saudável.
Queijo ricotta com raspas de maçã, tomate cereja, salada aromática vitacress, salmão fumado, ovo cozido e abacate. Tudo regado com molho vinagrete.
Resulta sempre.

hoje

Acordar com um email das finanças não é bom presságio. Acordar com o barulho das obras do vizinho também não. E saber da nabice dos que trabalham comigo logo pela fresca, idem.
Hoje tirei o dia para tratar de assuntos pendentes, mas comecei com o pé esquerdo. 
Mas, minha gente, é possível começar o dia com o pé esquerdo e virá-lo no outro sentido. 
Ida ao banco e pausa para comprar os melhores queijos frescos, pão de forno de lenha e almoçar
À tarde, ida à baixa, um desvio estratégico ao Santini (infelizmente não tinham o sabor brigadeiro, fica para a próxima). Montras, montras, montras, gente gira, calor de Verão. 
Foi uma lufada de ar fresco, eu que nunca vou para o centro de Lisboa.
Depois, na esperança de matar saudades da minha cria, levei uma grande tampa. Ignorou-me e quis ficar outra vez com a avó. Pois, uma noite é muito giro sim senhor, mas duas é outra coisa. Começo a sentir-me levemente rejeitada e com mãezite aguda. Sou uma fraca.
Quero os meus homens outra vez.

final de tarde de gaja

Batata-frita-pai fora, eu a precisar de tratar de uns assuntos amanhã de manhã e não é tarde nem é cedo: batata-frita-pequena é recambiado para casa da avó.
É verdade que tive um dia de cão, mas saio do trabalho e não vou directa a casa, como todos os dias. Vou à manicure (!), vou ver montras e, para finalizar, vou ver o filme do Woody Allen (que se revelou uma grande decepção, mas isso agora é outra história).
Janto so-zi-nha, sem pressas, venho para casa e há silêncio.
Sai uma pausa destas uma vez por semana ó faxavor*.

* E não, não vou dizer "Ai, mas a casa fica tão vazia!!! Não é a mesma coisa!!"
É BOM!!!!

1 + 1 = ♥

Foi um fim-de-semana a dois cheio de mel que correu bem.
Batata-frita-pai já tinha comentado comigo que quando são só eles dois, quase não há birras. Que parece que corre tudo melhor.
Isto é estranho, mas eu achei o mesmo. Andou muito a pé o fim-de-semana todo, sem pedinchar por colo e isto é estranhíssimo. Muito carinhoso comigo. 
Hoje, num palpite de sorte, levei-o a ver a Idade do Gelo. Eu sabia que talvez fosse too much, é um filme muito adulto. E tal como previa, ali a meio do filme disse-me quero ir embora, tenho medo. Eu tentei desvalorizar, disse-lhe oh mas agora é que vai ficar giro!, mas chegou o intervalo e o puto muito convicto desarmou-me, disse não quero ver mais. Quero ir para casa. E eu, bem dito bem feito, segui o pedido e viémos embora. 
Não obstante, portou-se sempre bem, esteve sentado e muito direitinho o tempo todo, acho que temos cinéfilo.
Isto promete. Daqui a uns anos tenho companhia para as sessões das 19h que eu tanto gosto.

sabes que o teu filho está a crescer quando...

- já não quer comer na cadeira dele.
- já não quer usar babete.
- quer lavar os dentes sozinho.
- já come quase tanto como tu ao jantar.

é oficial

Sou mãe solteira a partir de hoje até dia 7. Ando a congeminar ideias para programas mãe e filho. Claro que seria tudo mais bonito e fácil se o tempo ajudasse para a praia ou assim. Mas enfim, uma gaja tem de se convencer que chegou o Outono e que já é altura de guardar as havaianas e calar-me com as lamúrias. Isto de se ter o cérebro em Agosto é muito desgastante.
Adiante, percebi há momentos que nunca estivémos tanto tempo só os dois. A nossa vida felizmente é praticamente sempre a três. Nunca é pautada por separações, mesmo que breves. 
Agora, a parte positiva de ter batata-frita-pai fora é ter os mimos da nossa cria só para mim. Não sei se isto funciona da mesma maneira com meninas, mas o meu miúdo é muitíssimo meloso comigo e eu adoro.
Fico também com as birras só para mim, pois.
Ando há que tempos a pensar fazer uma lista de cenas para fazer com miúdos com bom ou mau tempo. Há muitas coisas que já pus em prática, mas há todo um mundo de outras coisas por experimentar. 
É um post a fazer.

humpf!!

Pronto, uma pessoa não pode ir à depilação, ter o seu momento de gaja a ler a Nova Gente à vontade que acontece qualquer coisa que estraga tudo.
Então hoje, a minha esteticista pergunta tem ido ao ginásio? Está um bocadinho flácida. Nota-se logo aqui! E apalpa-me a coxa.
Ai ai ai. Por onde é que vou começar? Gaja que é gaja nunca diz este tipo de coisas a outra gaja. Não é civilizado. Não é simpático. Não é, de todo, lisonjeador. É CHATO, MAU e MUITO INCONVENIENTE. 
E também mau para o negócio, que agora fiquei muito sentida e não sei quando volto lá a pôr os pés.


noites escuras e silenciosas

Como andei para aqui a chorar-me, que era uma desgraçada que tinha um filho que me dava noites brancas, agora acho por bem vir aqui contar que a nossa vida finalmente começa a entrar na linha.
Na verdade, foi preciso eu passar-me um bocado da cabeça, mas enfim, resultou. Não foi o método mais delicado/pedagógico mas azar. O que lá vai, lá vai.
Agora tudo anda lindo no nosso reino. A criança vai dormir à hora habitual. Pede sempre para deixar a porta aberta, ao que eu respondo que sim, claro. Deixo uma luzinha acesa e temos noite tranquila.
Espetacular.
Pelo sim pelo não, e vai daqui um conselho muito útil para as mães aí desse lado, não mostrem o "Monstros e Companhia" aos vossos filhos, tá?

há que ver as coisas pelo lado positivo

Espera-me uma semana sem batata-frita-pai, que vai viajar em trabalho.
Nem tudo é mau.
Uma semana sem dar uso aos tampões. Oié.

quem sofre do mesmo diga "eu"

No reino da casa da famelga batata frita há um assunto a modos que delicado.
Digamos que alguém ressona intensamente. E esse alguém não sou eu. Nem batata-frita-pequena.
Já conheço todos os tampões para os ouvidos do mercado. Sei que os melhores são uns amarelos de esponja. Sou doutorada.
Só que os sacanas dos tampões amarelos nunca mais os vi nas farmácias. Sumiram-se. Existem uns que são para o efeito desejado, mas não têm nada a ver.
Então ontem, numa última tentativa, fui a uma farmácia tentar encontrar uns.
A senhora olhou para mim com um ar muito cúmplice e cabisbaixo e disse-me "sabe, ontem tive de ir dormir para o outro quarto!".
É estranhamente reconfortante perceber que não estou sozinha nesta saga que acho que nunca vai ter fim. Aaaaaaahh.

sabes que és mãe

... quando a canção do Carteiro Paulo não te sai da cabeça (e da boca) o dia todo.
Socorro.

sentimento de posse

Hoje telefonei à avó que ficou com batata-frita-pequena para perguntar se estava tudo ok. 
Mas quem me atendeu o telefone não foi a avó.

batata-frita-pequena: Olááá!!!!
eu: olá querido! Estás bom?
batata-frita-pequena: Sim... Já chegaste a minha casa?

extreme times call for extreme measures

Depois de uma semana fora (que incluiu coisas altamente excitantes, como o avião, barco, etc), ontem voltámos à nossa rotina, que é como quem diz, berreiro para dormir.
Foi a estreia em casa, depois de uma semana fora. E foi outra vez uma choradeira pegada.
Então eu, provavelmente farta de tanto guincho e queixume, passei-me completamente da cabeça, arregalei os olhos e disse-lhe "sais da cama e levas uma palmada. É para dormir!!". Bem, eu não "disse" apenas. Proferi essas palavras num volume não recomendável. Digamos que é provável que o resto do prédio já saiba o que se anda a passar aqui por casa.
Gritei e falei como uma louca, mas o que é certo é que resultou. O puto continuou com lamúrias, mas não saiu da cama. Passados poucos minutos adormeceu. Acordou de vez em quando durante a noite a chamar por mim, ao que eu respondi CHIUUUUUUUU!!!!! e que o fez voltar a adormecer.
Pronto, ainda não está perfeito, mas a coisa terá de ir ao sítio.
Hoje já não fez fita para adormecer. Pediu-me só para deixar a porta aberta. 
Passei-me, é verdade, mas uma gaja não é de ferro.
Extreme times call for extreme measures.