ter dois filhos tão diferentes

Ela é "cheguei e vim para ficar".
Circula pela casa e entretém-se por breves minutos sozinha ou a melgar o irmão.
No parque, alucina com o escorrega e com o baloiço. Tenta trepar sozinha pelo escorrega acima. Se por acaso alguém lhe passa à frente ou a chateia, ela empurra.
Se ouve música, começa logo a abanar-se e vai puxar o irmão para dançar com ela. É uma festeira. Não percebo a quem é que sai. Juro.
Se um adulto lhe dá uma ordem, ela refila.
É uma alucinada, sedutora, doida varrida.

Ele é "cheguei, mas façam de conta que não estou aqui".
No primeiro ano e meio de vida não me largou a saia. Era impossível cozinhar ou mexer-me. Tinha-o sempre agarrado às minhas pernas e chorava se eu virava costas.
No parque, até se aventurar no escorrega foi uma sorte. Se por acaso alguém lhe passava à frente ou o pisava, amuava e olhava para mim em desespero.
Observa, calmo e ponderado, a agitação. Não gosta de dançar, nunca gostou e fica atrapalhado.
Se um adulto lhe dá uma ordem, ele cumpre na maior parte das vezes.
É sensível, meigo, responsável.

diálogos

Ao acordar, batata-frita-pequena esfrega insistentemente os olhos.

Eu: "Tanto soninhoooo!"
Batata-frita-pequena: "Não é sono. Tenho uma caramela (ramela) no olho".
Eu: "Caramela?"
Batata-frita-pequena: "Ai! Enganei-me! Caramelo!!"

diálogos

Férias nos Trópicos.
Pai e filho.

Batata-frita-pai: vamos pôr o protector solar que este sol é muito forte.
Batata-frita-pequena: mas há dois sóis?

aviões (spoiler alert ou não digas que eu não te avisei)

Eu não sei se por aí há pais com vontade de levarem as suas crianças a ir ver "Os Aviões"...
Bom, se sim, era só para alertar que este filme não tem assim muito a ver com o primeiro, que era relativamente fofinho.
Digamos que este mete chamas e cenas em que não se sabe se os carros e aviões vão ficar esturricados, pontes a cair, labaredas maradas e afins.
Era só para estarem a par.
Se por acaso as vossas crianças forem como o meu, assim mais para o sensível - do tipo, começar a gritar a meio do filme QUERO IR EMBORA!! EU QUERO IR EMBORA!!!! - então pensem bem.

Mas se as vossas crianças foram ver o filme e se se aguentaram à bomboca, então parabéns e provavelmente uma profissão de bombeiro pode esperar por eles.

É que até eu fiquei a roer as unhas durante o filme.

elas andam aí e despertam sentimentos queridos (cuidado)

Há uns dias, na sala de espera do ginecologista, vi-me rodeada de grávidas.
Juro, parecia uma emboscada.
Ou então - talvez o mais provável - era elas estarem à espera de consulta.
Adiante.
De repente bateu aquela nostalgia da gravidez, a saudade de estar grávida.
E logo depois pousei outra vez no planeta Terra e seguiu-se esta linha de raciocínio: a mente feminina é parva e sofre de amnésia crónica.
Uma pessoa - eu - engravida; apanha um susto e fica de repouso algumas semanas; enjoa fortemente durante metade da gravidez (na outra metade tem azia); apanha varicela do filho mais velho; sofre de distúrbios corporais menos agradáveis; deixa de conseguir calçar-se; tem contracções que lhe perfuram a alma antes de levar a epidural...

... e tem saudades de estar grávida?????

E depois a conclusão: é amnésia*.
É por isto que se tem mais do que um filho.

* Cuidado com ela!

aquele momento

... em que descobres um tomate podre no frigorífico, fazes pontaria para o caixote do lixo e... falhas.